Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Quinta-feira, 29 de Julho de 2010
O que as mulheres querem de facto???

Precisava de desabafar/reflectir...

 

Homens…

Queremos ser capazes de fazer o mesmo ou mais que eles;

Queremos nos tornar melhor que eles;

Queremos demonstrar que não precisamos deles…

 

Mas na verdade, por vezes, a nossa sustentação e força advém de um gesto carinhoso/demonstrações de afecto do sexo oposto.

 

Quando atravessamos a adolescência queremos ter um namorado porquê??? Ora porque queremos saber como é beijar na boca, porque queremos mostrar a toda a “escola” que somos “boas” o suficientes para ter namorado, etc…

Mas na realidade não é bem isso que queremos…

 

 

 

 

Mais tarde quando deixamos a adolescência para trás e começamos a entrar na casa dos vinte anos, queremos um homem para curtir a vida, experimentar mil e uma acrobacias sexuais, fantasiar e ousar toda a nossa sensualidade… Desculpamo-nos que por vezes procuramos afecto e carinho e que o sexo advém por acaso…

Mas na realidade não é bem isso que queremos…

 

 

 

 

Perto da casa dos 30 e mesmo quando temos 30 e poucos anos queremos encontrar o homem da nossa vida, acreditamos que existe alguém que é a nossa alma gémea… Um homem que nos complementa em todos os sentidos… Procuramos um homem que queremos amar e que nos ame para sempre… o nosso príncipe encantado… a nossa alma gémea… a nossa outra parte… Um pai para os nossos filhos e alguém com quem queremos constituir família…

Será que é isso mesmo que queremos?

 

 

 

 

Se por ventura temos o azar de a relação entrar na monotonia inventamos mil e uma desculpas para acusar o homem com quem estamos e é comum dizermos que ele já não é romântico, já não nos diz “amo-te” todos os dias, já não é o mesmo homem carinhoso…

Os filhotes não ajudam pois consomem-nos o tempo todo que temos... E há que conjugar as tarefas de mãe e esposa com uma carreira profissional e a lida doméstica…

Fartos de ouvir os nossos queixumes e desculpas para não “termos” sexo, eles procuram quem os satisfaça…

 

E quem os vai satisfazer, será que só queria mesmo estar com um homem por uma noite?

 

 

 

 

 

Se surge o divórcio e ficamos sozinhas dizemos que não estamos habituadas a estarmos sós e que precisamos de um homem que nos satisfaça a nível de afectos e sexualmente…

Mas será mesmo isso que queremos?

 

 

 

Até quando é que a mulher vai usar a desculpa de necessidade sexual e carência afectiva se depois de obter isso de um homem, não se sente realizada?

 

 

Receber carícias, beijos e demonstrações de carinho de alguém que não amamos, só nos faz ainda sentir mais aquele vazio e angústia que a meu ver resultam de um “buraco” de sentimentos que não é preenchido…

 

 

 

 

 

 

 

Penso que é a palavra que responde às questões que invoquei é mesmo essa…

 

Sentimentos…

 

O que nós procuramos desde tenra idade são sentimentos…

 

Aquela magia que envolve duas pessoas… aquilo que nos faz sentir em harmonia quando se está com alguém…

O que nós precisamos mais é de um abraço de amor… não de um beijo com a língua;

O que nós precisamos mais é que nos digam; “És linda” e não que “nos apalpem";

O que nós precisamos mais é que nos digam: “Gosto de ti; Sinto-me bem contigo” e não de ter um orgasmo;

O que nós precisamos mais é que de ouvir: “És única” e não que somos a melhor “queca” que ele já teve;

O que nós precisamos mais de ouvir é: “Mal posso esperar para estar novamente a olhar para ti” e não que nos perguntem quando estamos sozinhas em casa;

O que nós precisamos de ouvir é: “És o meu amor” e não “És uma verdadeira p… na cama”

 

 

 

Para ocupar aquele “vazio” originado pela solidão a que lhe chamamos “necessidades afectivas” não é com um homem qualquer que o vamos preencher… É com sentimentos…

 

Curtir, receber carinhos, ter sexo com um qualquer… apenas “disfarça” e dá-nos uma satisfação temporária… Pois não tarda a olharmos para dentro e sentir aquele frio próprio de não nos sentirmos amadas e queridas por um homem…

 

Embora queiramos ultrapassar o homem nas suas capacidades e mostrar que somos melhores que eles, precisamos de sentimentos profundos para com eles para conseguirmos superá-los…

 

Quantas vezes não foi um “amo-te” e um “sei que vais ser capaz, confio e acredito em ti” que nos deu força para lutar no nosso dia a dia…

 

Acreditem não é uma boa “queca” que nos vai dar força para o dia seguinte, mas sim uma demonstração de amor, afecto e carinho… ou seja sentimentos…     

 

 

 

 
 
 
Imagens retiradas do site: http://weheartit.com


I feel: Nostálgica...

Publicado por... anynhasblog às 23:20
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013