Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Terça-feira, 10 de Janeiro de 2012
...2011 -> 2012

Resolução de ano novo…

Ou nunca lhes dei importância, ou de facto neste ano tem-se dado uma crescente importância às mesmas…

Será pelo país estar em “crise”?

Será pela necessidade de organizar o nosso quotidiano?

Será apenas algo que nos permita acreditar que o mundo não vai acabar em 2012, como muita gente pensa?

Serão as resoluções dirigentes do nosso quotidiano?

Ou só dos primeiros dias do ano?

 

Sim porque é fácil fazer uma lista das mesmas como: - poupar dinheiro, estar mais com os meus amigos, ir ao ginásio, perder peso, telefonar todos os dias à família, etc…

 

Desde já acho que a ideia de resoluções de novo ano são ILUSÕES!

 

É a única vez por ano basicamente que damos pela mudança de mês e cremos que isso é fulcral para a nossa vida?

 

O que nos muda e altera não é a noite de passagem de ano, mas sim todas as outras 365 ou 364 noites quando somados os nossos desafios, problemas e todas aquelas vivências que nos fazem crescer.

 

“New Year Resolutions”???

 

 

 

 

Poupar dinheiro? (em época de saldos não podia haver melhor altura para o decidir… Mais grave… o aumento de preços típico ao qual não nos habituamos logo nos primeiros dias)

Estar com os amigos? (Em pleno inverno em que suplicamos pelo calor do nosso lar… sim sim…)

Ir ao ginásio? (Funciona sim… nas duas primeiras semanas… Depois basta naquele dia em que tivemos uma discussão com o chefe, que está de chuva e há transito… Não é o saco do ginásio que nos vai impedir de correr para casa, beber um chá quente e enfiarmo-nos na cama, depois de fazer uns “likes” no facebook.. Uns “likes” naqueles amigos que queríamos visitar mais…

 

Mais um aviso para os desistentes de ginásios… será que gostam de ir ao ginásio? Essa modalidade física agrada-vos? Já pensaram em juntar-se com um grupo de amigos e praticar basquetebol, futebol, voleibol ou andebol? Além de promover o convívio, pratica-se desporto e encara-se o hábito desportivo como algo que desejamos muito visto que temos a parte da socialização como incentivo… Acreditem que muitos dos vossos amigos também se devem “baldar” a ginásios e quem sabe uma iniciativa destas não os levava a praticar desporto…

 

 

 

 

Perder peso? Bem na entrada do novo ano deve haver algo especial no nosso organismo que nos vai cortar o apetite e impedir o consumo de coisas que fazem mal… principalmente no inicio de janeiro com as sobras do ano Novo e até Natal… (ai filha acaba lá este salame que foi feito para o Natal e ainda ninguém o comeu e está tão bom que é uma pena ir para o lixo…) Grande incentivo para a dieta…

 

 

 

Telefonar todos os dias à família… ao fim de 3 dias percebemos que não temos nada de novo para contar e que estamos cansados e que falamos “amanhã” e amanhã voltamos a dizer “amanhã” e assim sucessivamente…

 

E assim satirizo um pouco o ideal de resoluções de fim de ano que a meu ver não devem ser exclusivas de fim de ano e muito menos serem uma lista massiva basicamente impossível de cumprir…

Se eu fizesse uma lista de resoluções o que colocava?

Bem nada do que já não tivesse projetado anteriormente:

- Aprender a fazer novos cozinhados;

 

 

 

- Ir viver com o meu namorado;

- E como não podia deixar de ser… seja verão ou inverno… esta “resolução” anda cá sempre… emagrecer (sim porque para mim, quanto mais magro melhor…) Não sou magra! Como toda a gente também cometo erros… E sou incapaz de sair as dietas à risca… se assim fosse conseguiria ser anorética.

 

 

Além das perspetivas para o novo ano, há sempre aquele balanço nostálgico que fazemos do ano que passou…

Eu ainda não tinha tido vontade (oportunidade) para o fazer…

Mas deixei uns tópicos escritos para saber o que escrever…

 

Bem 2011…

Comecei o ano solteira (tinha uma paixoneta não correspondida), para acabar o ano com um compromisso sério.

 

 

 

 

 

Deste ano que passou assim o que me ressalta a atenção foi:

- o facto de continuar com o mesmo emprego na mesma escola (na profissão de docente, é de louvar o facto de ficar colocada, relativamente perto de casa e a ensinar os anos para os quais me formei). Não podia deixar de dar valor a isso… Afinal é o ser professora que me faz “saltar” todos os dias da cama pois sei que vou fazer aquilo que gosto e adoro… Aproveito cada minuto… pois não sei se terei mais oportunidades de fazer aquilo que gosto… E o atual panorama não está fácil;

 

 

 

 

- Praga, Bratislava e Budapeste! Viagem brutal com o trio mais divertido e genuíno de sempre (eu, a minha mana e o meu pai). Está tudo aqui no blog… tirando o facto de o meu pai ter perdido parte do filme da viagem... mais ou menos como me sucedeu em Paris que depois de passar a viagem toda a filmar… gravei uma novela por cima de todo o filme da cidade parisiense.

 

- Campismo… adorei! Pensei que aquilo não era a minha “onda”. Mas dormir numa tenda “Quechua” foi muito fixe! Contacto direto com a natureza… com o sol e o calor a acordar-me logo às 7horas! Mas à meia-noite já estava com soninho e adormecia a ouvir “Mas quem será o pai da criança…” das festarolas do parque de campismo ao lado. Mas todas as noites tocava a mesma música…

 

- Férias na casa do Algarve… Praia de Santa Eulália… ai que saudades que eu tinha de ir para Albufeira! E para terminar em beleza contei com a visita surpresa do meu namorado!

 

- Séries e mais séries… Continuo fã de “Donas de Casa Desesperadas” e neste momento desespero pelo facto de a série estar a terminar…

Por vezes vejo “Anatomia de Grey” aliás fiz referência a um episódio no blog e a minha última “panca” é 90210 (baseado no antigo 90210 Beverly Hills)… pensei que era tipo “Morangos com Açucar” americano, mas afinal gostei e é daquelas série, que embora já esteja a fugir da minha faixa etária, não deixo de gostar de ver! Recordo-me que a minha mãe assistia ao 90210 Berverly Hills e lembro-me de terem saído as Barbies com as personagens da antiga série. Eu era pequena…

 

 

- Thanks Giving vs Natal

Não cheguei a referenciar no meu blog, mas pela primeira vez celebrei o Dia de Ação de Graças. É algo americano e vai daí o mesmo não ser muito popular por terras de D. Afonso Henriques.

Mas o mais especial foi o modo de como foi comemorado…

 

 

 

Voltemos ao passado… Foi até os meus 14 anos que passei o Natal com “toda a família” (pais, avós maternos e paternos, padrinhos, primos, avós maternos dos primos, etc).

Enfim a beleza do Natal não era as prendas, nunca foi a casa das Barbies, ou o boneco que falava, ou o “Desenha a moda” ou simplesmente a agenda eletrónica da época… O mais belo era: - no dia 24 acordar cedo, ansiosa, com o coração aos pulos… Ansiosa ou para ir passar o Natal a casa dos meus padrinhos ou ansiosa para que todos chegassem a minha casa (os Natais eram em locais alternados). Geralmente havia grande stress na cozinha, lembro-me de ouvir a batedeira a acabar de pôr as natas “em castelo” para o doce da bolacha, ou simplesmente de ver as mãos magras da minha mãe a acabar de moldar o salame… A minha avó a chegar com uma travessa enorme de “coscorões” (espécie de filhoses à moda da Beira Baixa). O meu avô normalmente ensaiava músicas de Natal na flauta…

Ou quando nos esperava a viagem até Viseu, recordo-me da preocupação de levar roupas quentinhas, a necessidade de levar medicamentos para qualquer emergência, etc…

 

 

 

Lembro-me das viagens debaixo de chuva, o chegar a Viseu e ir buscar os meus avós paternos para seguirmos todos para casa dos meus padrinhos…

Quando nos juntávamos aposto que a minha frequência cardíaca disparava! Era ver toda gente e fazer tropelias com o meu primo (em mais nova planeávamos descobrir se afinal o Pai Natal era ou não verdadeiro).

A confusão de pôr a mesa, servir o jantar, sentarem-se todos à mesa, os mais novos numa mesa “à parte” porque não cabíamos todos na principal…

As piadas dos nossos pais e avós.. a minha mãe, madrinha e avós sempre atarefadas com a comida…

Ao serão por vezes eu e o meu primo contávamos anedotas, fazíamos “magia”, cantávamos, etc…

A certa altura o meu pai ou o meu padrinho saíam de soslaio e apareciam depois vestidos de Pai Natal. Durante muito tempo acreditei que era mesmo o Pai Natal que nos traziam as prendas…  Não sabia que era um disfarce…

Eles faziam bem o papel, perguntavam se nos tínhamos comportado bem e o que esperávamos receber!

 

 

 

Era uma loucura! Rever as filmagens desses Natais ilumina-me a alma ao mesmo tempo que fico angustiada de tudo não passar de uma memória…

Claro que quando o Pai Natal ia embora, o meu pai ou padrinho aparecia e fazia-se despercebido… “Mas o Pai Natal já veio?”

Depois os presentes que estavam debaixo da árvore de Natal eram trocados entre os adultos. Colocava sempre a roupa nova de parte e só queria saber dos brinquedos…

Ficávamos a brincar e a partilhar os brinquedos novos e só nos deitávamos muito tarde…

No dia seguinte lá tinha que vestir a roupa nova (geralmente nunca me agradava muito porque ora picava, ou porque era obrigada a vestir collants, etc) e íamos todos para a missa! Ao almoço o arroz de marisco da minha avó fazia o sucesso do costume… Seguia-se o peru/borrego…

Isto é uma mera descrição do que foi, durante muitos anos o meu Natal…

Tudo isto terminou em 1999, quando o meu pai se separou da minha mãe… Tudo terminou sem eu ter tempo de me “despedir”…

 

 

 

De repente vi-me obrigada, juntamente com a minha irmã, de ter de optar por ir passar o Natal com o meu pai, padrinhos, primos e avós paternos ou com a minha mãe e avós maternos.

Acho que isso é um golpe muito baixo que me foi aplicado… não bastava me terem tirado um dos dias mais felizes do ano, como queriam que eu optasse pela companhia…

E é de lamentar quantas mais crianças/jovens enfrentaram a confusão de sentimentos pelos quais eu passei durante este momento…

As lágrimas que vieram em lugar daquele sorriso e alegria próprio do dia 24 levava a que me chamassem à atenção para eu perceber que os meus pais estavam melhor separados… Mas qual é a criança/ jovem que quer isso?

Abrir o meu coração e falar do que passei doi… não tanto como doeu na altura… mas é como se me arrancassem a “crosta” de uma ferida que ainda não sarou totalmente…

 

 

 

Mas voltemos ao presente, ou melhor a 26 de Novembro de 2011, quando nos juntámos para fazer uma espécie de Natal… Sem os meus avós maternos e sem a minha mãe (não, eu nunca deixo de passar o Natal com a minha mãe a avó, e assim vi a hipótese de não as deixar no dia de Natal, mas assegurar que havia um dia por ano que estava com a família).

A nível de presenças contei com o meu namorado, namorado da minha prima e outras presenças da parte do meu pai…

Pensei que talvez revesse os belos Natais que vivi na minha infância, mas afinal tudo já é tão diferente! Sei que jamais terei aqueles Natais… mas serviu para em breves momentos recordar como tudo era… Depois de tantas discussões que passei com a minha família, depois de alguns afastamentos, foi como se o Thanks Giving fosse uma pérola do luxoso colar que era o meu Natal …

 

 

 

Mas foi muito divertido…

Foi em Vila Velha de Ródão… Na sexta eu estava ansiosa por chegar… parecia uma criança pequena…

Dormimos 10 pessoas no mesmo compartimento, nomeadamente sótão… O meu primo passou-se com os roncos do ressonar e foi difícil adormecer entre tantos risos…

Pesquisámos e tentámos seguir as tradições americanas desse dia…

 

 

 

Foi um momento que desejamos repetir, pois soube a pouco e há que aproveitar enquanto conto com a presença de todos… Valeu a pena cada segundo …

As expectativas desse dia foram referenciadas no blog do meu primo: http://sorrirparaservir.blogspot.com/2011/11/jantar-de-acao-de-gracas.html#comment-form

E o balanço em imagens também está no blog dele: http://sorrirparaservir.blogspot.com/2011/11/familia.html

Definitivamente foi algo que marcou o meu 2011…

 

E para culminar, nada melhor do que aquela listagem que também fiz em 2010:

(http://anynhasblog.blogs.sapo.pt/2010/12/)

 

Melhor filme do ano: “O Turista”

 

 

 

Experiência: campismo

 

 

RIP: Steve Jobs, Amy Winehouse e Angélico (foram os que mais me marcaram);

 

 

 

Cor: cinzento e branco

Melhor jogo: The Sims Social

 

 

Melhor compra: “Singstar Abba” e “Singstar Queen” com microfones por menos de 60 euros na Fnac e calças de ganga escura da Zara em saldos (era o único par) por 8 euros;

 

 

 

Música: Jennifer Lopez feat PittBull – On the Floor

 

 

 

Concerto: Bryan Adams…

 

 

 

Peça de roupa: vestidos

 

 

 

Séries: Desperate Housewives e 90210

 

 

 

Louca por: tudo o que tivesse a ver com Casamentos…

 

Casamento do ano: o da Rita e o casamento real do Príncipe William com Kate Middleton

 

 

 

Livro: “Catarina de Bragança” de Isabel Stillwell

 

 

 

Animal: Caturra

 

 

 

Prenda: relógio da Swatch branco

 

 

 

Maior erro: inscrever-se no Holmes Place

Grande decisão: jamais desistir dos meus sonhos

Algo inevitável: voltar para o meu namorado

Alguém de quem me orgulhei bastante: mana…

 

E já em pleno 2012, despeço-me por hoje…

Não prometo vir cá todas as semanas, nem que vou passar a escrever mais… comprometo-me a fazê-lo é sempre que quiser e sempre que tiver hipótese ou oportunidade…

 

Mais do que planos… há que viver o nosso dia a dia…

 



Publicado por... anynhasblog às 19:19
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013