Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Sexta-feira, 16 de Setembro de 2011
Desabafo...

JÁ CHEGA!

 

Estou cansada destes portugueses insatisfeitos. Votam num partido e ficam à espera que este lhes dê benefícios quando o país possui uma enorme dívida pública!

 

Se vai o PS para o governo e tomam medidas para minimizar o estado em que Portugal está, viram todos a casaca para o PSD ou outros partidos. Quando o PSD chega ao poder e toma grandes medidas para tirar Portugal da crise, atiram-se todos ao ar, criticam e voltam a virar a casaca!

 

Mas o que é isto?

 

Eu tenho pena que não haja um primeiro ministro que vá à janela e grite para Portugal:

- Mas o que querem vocês? Como querem liquidar uma dívida e tirar o país do buraco financeiro sem passarem por privações? Quem deve uma casa a um banco, não tem que todos os meses pagar uma mensalidade para liquidar a sua divida? E se o banco estiver a ficar sem dinheiro e exigir que paguem a dívida por completo, como fazem? Não têm que se privar de muita coisa? Se o governo não aumentar os impostos, cortar subsídios, como querem colmatar a dívida? Não vale a pena acusar quem quer seja sobre a dívida contraída! Existe uma dívida e ponto final! Há que tomar medidas para a resolver e todos têm que contribuir para ela.

 

Aliás o nosso país está mais do que habituado a crises, relembrem-me períodos da história em que Portugal era próspero e rico?

A mentalidade portuguesa é uma mentalidade ligada ao capitalismo gasto e não ganho.

Preocupam-se mais com o que recebem no final do mês, do que com o que precisam de fazer para o ganhar! Se o vosso horário for das 8:00 às 17:00, são bem capazes de chegarem Às 8:01 e saírem às 16:59! É típico na mentalidade portuguesa e parece que este vício está intrínseco! E depois só sabem criticar e acreditar na comunicação social como se a mesma fosse um deus!

 

Mas será que ninguém é capaz de pensar por si mesmo? Precisa de ouvir a comunicação social para formar os seus juízos e opiniões? (pelos vistos o Salazar soube bem o que fez com a censura).

Será que não sabem que a Comunicação Social é paga para mentir? Aliás quantos de nós já não mentimos/ omitimos algo a nosso favor?

 

Eu, pessoalmente fui vítima de uma mentira que me ficou a custar cerca de 500 euros! Sim, porque um funcionário do Holmes Place do Dolce Vita Tejo me mentiu sobre as condições de adesão ao clube. Ele precisa que eu e muitos outros adiramos ao clube e porquê? Por que esse é o seu “ganha pão”. Quantas mais pessoas ele juntar para o Holmes Place, mais ele ganha. Mesmo que tenha que dizer uma mentira, o que lhe custa isso se por cada pessoa que entra para o clube ele ganha possivelmente 100 euros? Quantos de nós também não o faríamos?

Na comunicação social eles agem da mesma forma. Por que não “modificar” uma noticia tornando-a mais apelativa ao público a fim de facturar mais?

 

Eu já estou a imaginar se fosse famosa:

Dia 8 de Setembro: - Aniversário do meu pai. Fui jantar com ele ao Chiado e levei-o a provar os gelados à Santini. (*)

O que a Imprensa diria: “Ana foi vista com o pai às compras na Fashion Night Out.”

 

Dia 10 de Setembro: - Fui e vim no mesmo dia a Tomar jantar com o meu pai e ver as “Estátuas vivas.

O que a Imprensa diria: “-Ana passa o fim-de-semana em Tomar num hotel luxuoso.”

 

Dia 13 de Setembro: - Publiquei no Facebook que não ia continuar com a turma de 5ºano do ano lectivo anterior.

O que a Imprensa diria: “-Foram retiradas turmas à Ana. Provavelmente já nem terá horário completo”.

 

Na política as notícias também tendem a ser distorcidas para chamar a atenção do público-alvo.

 

Já para não falar que existe uma iliteracia económica no país e isso é outro grande motivo que leva a que as pessoas se deixem levar pela Comunicação Social.

E quem mais fala de política são as que menos a entendem, estas baseiam em crenças dogmáticas, criando especulação que piora a crise.

 

 

Muitas vezes se do outro lado do governo, lê-se “Ministro rouba…”. E o Ministro provavelmente até pode depois pensar “bem se já tenho a fama, deixa-me ficar com o proveito”.

 

Mas quantos de nós se calhar também já não nos beneficiámos no local de trabalho? (eu no meu caso deve ser mais o contrário, mas isso é porque faculto o meu material comprado com o meu dinheiro aos meus alunos carenciados).

 

Mas tenho a certeza que muita gente deve “puxar a brasa à sua sardinha” quando é necessário.

 

E agora o que se vai resolver é criticar cada medida tomada pelos ministros colocados por nós no governo (somos ou não democratas? Não votamos neles?)?

 

Não aceitamos nada? Nenhum imposto a mais? Nenhuma taxa extra?

 

Pelo pouco ou nada que sei, Portugal tem dívidas e cá para mim, cada um de nós contribuiu com um grãozinho para as mesmas!

 

Os portugueses têm a mania das riquezas, das grandezas. Eu fui parva/ estúpida quando dei conta que os trabalhadores recebiam subsídios de Natal e férias. Na minha ignorância perguntei o porquê. E quiçá eu até não tivesse razão? Nós trabalhamos a dobrar nas férias e no Natal? Então porque é que recebemos num ano por 14 meses e não por 12?

 

Fazer férias? Para mim, férias basta poder dormir um pouco mais e não ter o dever de ir trabalhar todos os dias para poder estar com a minha família. Se ao longo do ano tiver posto de parte um x para poder ir para fora, muito bem!

 

Prendas de Natal? O Natal é só prendas? Quando penso no Natal vejo uma família unida a partilhar um jantar de Natal. Vejo uma celebração eucarística a relembrar o nascimento de Jesus. Prendas? Se tivermos juntado um pouquinho talvez dê para comprar uma coisinha para a família.

 

Mas eu tenho quase a certeza que quem ler isto diz que não sobra nada do ordenado. Sim, realmente isso também me sucede. Mas eu descobri uma maneira de isso não suceder. Quando eu pego em x percentual do meu ordenado e o ponho a prazo, nesse mês sou muito mais contida nas despesas. E quando entro numa loja ou supermercado penso: nem sei se ainda tenho dinheiro na conta para isto. Ao invés de pensar, eu ganho x, chega e é mais que suficiente, vou comprar isto, aquilo…

 

Não sei como é com as outras pessoas, mas acho que cada um deve ter uma estratégia de poupança.

 

Nem que seja colocar num mealheiro o dinheiro que se gasta semanalmente para jogar no euro milhões, quando a hipótese de acertar nos números é muito restrita. Ao final de um mês, por muito pouco que seja é dinheiro.

Muita gente tem aquela ideia de enquanto há dinheiro é para gastar. Mas é essa ideologia que tornou o país no que está. É isso que agora com os novos impostos e taxas se vai tornar mais difícil a tão complicada tarefa de poupar. Complicado, mas não impossível.

 

Empréstimos?

Empréstimo não é mais nem menos do que transformar dinheiro em contratos.

Por que nos iam emprestar dinheiro se não ganhassem nada com isso?

 

 

Só lamento é que os nossos políticos não nos concretizem as dívidas do nosso país e especifiquem os gastos necessários para a saúde, educação, justiça, segurança, etc, etc…

 

Se calhar se tomássemos consciência e víssemos os números a mudar e a dívida a abater, talvez isso nos motivasse mais e deixássemos de ser tão queixoso e críticos perante todas as medidas aplicadas.

 

Se o governo decidir privatizar os hospitais aposto que 99,9% da população se vai indignar em vez de pensar na estratégia que tem pôr em prática a fim de poder beneficiar de serviço médico.

 

Há uma despesa insustentável com a saúde! É como se o país “recebesse” 100 e tivesse que pagar 500 à saúde!

 

As medidas vão ter que ser tomadas e devemos estar preparados para elas.

 

Se nos tirarem o subsídio de férias de 2012, 99,9% da população vai se atirar ao ar e dizer que é injusto! Em vez de pensarem que podem juntar para fazer férias fora ou eventualmente ficar em casa com a família, a usufruir da casa para a qual passam a vida toda a pagar.

 

Parem de criticar as medidas. Temos que aceitá-las!

 

Se me disserem que tenho que passar a trabalhar mais 10 horas por semana, claro que vou franzir o sobrolho, mas se pensar que isso vai ajudar o meu país, por que não o sacrifício?

 

As medidas que os ministros estão a determinar, não podem ser em vão! Até porque podemos escolher outros partidos para o governo (gastar mais dinheiro em eleições e todo o processo de remodelação governamental). Mas as dívidas vão persistir!

 

Todos vêem os EUA como uma grande nação, mas não foram os seus políticos que por si só tornaram o país na grande potência que é. A união e a força entre os americanos, levou a que este país se desenvolvesse e crescesse. Isso sim, é uma nação. Os portugueses mal ouvem algo que não lhes agrada, saiem às ruas para contestar, fazer greves ou queixar-se aos sindicatos. Se fossem realmente um nação trabalhavam para tentar superar os problemas.

 

- Politico português: 2+2 é cinco

- Povo português faz uma manifestação e reclama!

- Uma verdadeira nação: prova que 2+2 = 4 e que 4 é diferente de 5.

 

Não estão à espera que apareça um homem bilionário que se candidate a ministro e acabe com as dívidas! O “Pai Natal” não existe!

 

“Não há almoços grátis!” (César das Neves)

 

É uma estupidez as pessoas que se preocupam com estes problemas visto que a crise é temporária, sendo sucedida por um período de bonança melhor que o período antes da crise. Posteriormente volta a existir outra crise que não chega a ser tão grave quanto a anterior, segue outro período de bonança ainda melhor, e assim sucessivamente…  

 

Nós fizemos a dívida portuguesa, nós temos que a pagar.

Nem percam tempo a contestar, percam tempo a superá-la!

 

 

 

 

(*)Nota:- Muita gente pelo meu blog deve pensar que sou abastada visto que viajo e falo das compras que faço! Atenção! O meu pai trabalhou muito para chegar onde chegou e sim ele vive bem! Mas não vive comigo e com a minha irmã! Eu vivo com a minha mãe e mana. A minha mãe passou a “passas do Algarve” para nos sustentar e criar! E ainda hoje eu apesar de viver com ela, contribuo para as finanças do lar. E acho bastante justo visto que gasto água, luz, gás, como da comida que ela compra, faço chamadas do telefone de casa, etc…

 

Posso ter um ordenado aceitável para inicio de vida, mas bem que podia andar a fazer lipo aspirações, comprar roupa de marca, fazer massagens, passar os fins-de-semana fora e outras coisas que até posso ambicionar, mas prefiro “poupar” para um dia não ter que pedir um empréstimo total a um banco para comprar uma casa e para ter um “pé de meia” para o que der e vier!

 

 

 



Publicado por... anynhasblog às 15:33
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

10 comentários:
De Marco a 17 de Setembro de 2011 às 16:51
Ana, eu até posso entender a maioria das tuas opiniões, somos de facto um país que vive de ostentações, aparências e gastos demasiado elevados. Reclamamos muito e sugerimos pouco! Criticamos de mais para o que contribuímos, ainda assim é uma opinião generalista e pouco realista da vida social actual do povo português. Concordo que de facto a nossa mentalidade é ainda muito passiva, não que sejamos antiquados, demasiado religiosos ou mesmo pouco construtivos, acho que já não somos assim e se nos compararmos com países vizinhos, somos, regra geral, até bastante trabalhadores. Mas a verdade é que sempre gostámos de alguém a dar-nos ordens, a pensar por nós, razão pela qual se manteve tantos anos o nosso Salazar e sim, sempre, ou quase sempre, fomos um país pobre. O que eu apenas não concordo contigo, é que a minha geração, a tua, e as seguintes, tenham que ter hoje uma vida muito mais difícil do que tiveram os nossos pais e avós, E nem me venham dizer que antigamente se passava fome e ninguém sabia ler, porque obviamente os tempos eram outros mas ainda assim, quem tirasse um curso, terminava-o sem “muitos stress”, tinha uma profissão, sem muito stress e vivia razoavelmente bem. Morei faro um tempo e tenho modelo de comparação: Portugal para os mais jovens licenciados, sem para falar dos que não o são, está insustentável! Sugeria-te uma viagem até, por exemplo, ao Vale da Amoreira, Baixa da Banheira, e verás que aquela realidade é muito diferente das que conheces, mesmo das TEIP de Lisboa.
Se os cursos não têm saída, então não deveriam ser colocados em Universidades Públicas ou então deveriam ser dadas possibilidades de empregabilidade, uma vez que a entrada numa faculdade pública é feita mediante um concurso e com o pagamento das propinas. Então quem devemos culpar pelo nosso insucesso, o estado, as Universidades, nós mesmos?
Por fim resta-me dizer-te que também eu já morei com os meus pais e o contexto é completamente diferente. Experimente ganhar a liberdade e a responsabilidade de gerir autonomamente uma casa/lar, ter um filho, inscreve-lo numa creche e claro, pagar casa, ao banco ou a um senhorio, tu escolhes. Além disso, usar dois carros (sim porque neste momento é mais compensatório que o passe social), um para ti, outro para o teu namorado, sim porque os dois têm que trabalhar e no fim, vê o que te sobra para ir às compras, para ires de férias, ou mesmo para o ginásio!
A verdade é que vais precisar mesmo das férias junto à tua família no Verão e sem ir para fora, isto se queres que os teus filhos te reconheçam, porque durante o ano lectivo, os fins de semana são curtos para preparar comidas, aulas, roupas…Não isto não é a desgraça, isto é mesmo a realidade!
Não me parece que te vá sobrar muito tempo e dinheiro, mas ainda assim eu pergunto-te? Era isto que tinhas planeado para ti?

Espero que não me leves a mal, estas sinceras palavras.
Marco.


De anynhasblog a 18 de Setembro de 2011 às 16:36
Desde já obrigada por comentares! Parece incrível que tenha que ter desabado "mundos e fundos" para receber um comment! E não por falta de visitas pois vejo o contador sempre a andar!

Quanto a essa história de trabalhar e não ter tempo para ver os filhos, digamos que já a sofri na parte em que eu sou a filha e mal vejo os pais!
E sim, é a realidade que espero! Por que tem mesmo que ser! É como a morte, por muito que não a deseje, ela há-de chegar! E não me refiro à minha... mas sim aos que me são mais queridos!
Quanto às licenciaturas, sublinho o que disseste, até porque tem havido um grande facilitismo na obtenção de licenciaturas e cursos sem lógica...
Há cursos cuja saída profissional devia dizer:"desemprego". Eu sei que tb não tinha perspectivas favoráveis quando me formei na área de ensino, mas pelo menos sabia que há smp crianças para aprender e tive o cuidado de escolher uma área em que a saída profissional não era dos piores. Quando me candidatei o meu pai disse que eu estava condenada a ficar no desemprego. Mal acabei no curso foram mais de 150 os CVs que enviei e em Outubro chamaram-me para um colégio para substituir uma professora que estava grávida. "Esbarrei" o meu sucesso na cara do meu pai! E desde aí nunca, mas nunca mais parei!!!! Na escola onde estou, consegui lá ficar graças ao grande trabalho que tenho feito... proque infelizmente tenho visto mts colegas a sairem. Não sei como vai ser para o ano, mas amo a minha profissão! Há dias piores e outros melhores! É como tdo na vida! A vida dificil que a nossa geração enfrenta foi fruto dos erros do passado. Mas acredita que esta crise social e económica tem fim e quando a mesma terminar, o período de properidade e abonança, será melhor do que foi o último (tipo década de 90). O meu namorado não é licenciado e está no desemprego! Ele ficou desempregado no final de Agosto! Estavamos a prever comprar casa e fazer a nossa vida... mas como vÊs a tal "crise" que tanto dá cabo da nossa vida, também destruiu esse meu sonho querido! Mas nós os dois havemos de sobreviver!
Outra coisa que não deves ter lido e percebido foi a minha nota final. Eu estou a aproveitar o facto de viver com a minha mãe sim! Ninguém está insatisfeito com isso! Não sou nenhuma verme porque contribuo para os gastos! Mas consigo poupar mais do que tendo a minha casa e a minha independencia! É por isso que ainda não saí e não fui morar sozinha! Aliás arrisquei a que isso sucedesse no concurso de professores! Mas o destino não o quis... E achas que mesmo sendo independente não consigo poupar? A minha irmã coleciona moedas de um cêntimo... todas as que encontra na rua desprezadas pelas pessoas que têm preguiça de lhes pegar! Ela já vai em 7 euros... Sim são mesmo muita moedas... (qualquer dia, vêm cá a casa pedir satisfações por falta de circulação dessas moedas). Guardar um cêntimo já é poupar! E falando do passado no tempo dos nossos pais e avós... O meu avô paterno andou descalço, bem como o meu pai... ele que agora pode comprar sapatos de marca dos mais caros... O meu avô materno já falecido comia com os 6 irmãos do mesmo recipiente... E muitas vezes era couves com couves, batatas com batatas... Quando tinham um bocado de carne, usavam até os ossos para dar sabor à sopa... Eu não vivo assim e nem os meus alunos da Cova da Moura vivem assim! Há muitos que o que comem é dado pela escola, mas mesmo assim! Sempre é uma refeição!


De anynhasblog a 18 de Setembro de 2011 às 16:38
E pronto isto tudo para veres que não vale a pena comparar o estado do nosso país com as décadas de 30, 40 e 50...
Por mt mal que estejamos, já estivémos piores!


De Ricardo Cruz a 26 de Setembro de 2011 às 08:18
Certo dia, estava eu na tasquinha perto da minha casa (moro ao pé do bairro de santa filomena) a ver o benfica. Às tantas aparece 1a vizinha q é lá do bairro a queixar-s q Portugal está mt mal, e q a filha dela está "à rasca" e blá, blá... Eu interessei-me pela história dela, e perguntei o porquê. Ela respondeu q ela tinha filhos e q N podia trabalhar; daí eu perguntei s ela era separada do marido, ao q ela me respondeu q n. Eu perguntei então porq é q o marido N conseguia o dinheiro, e ela respondeu q ele N tinha emprego, q a vida estava difícil, etc, etc... Eu perguntei onde é q ele tinha procurado emprego, e ela diss q em todo o lado, mas q N o aceitavam p ele ser imigrante ilegal, nomeadamente brasileiro. Ora, eu perguntei há quanto tempo é q ele está em Portugal, e ela respondeu q estava à + de 7 anos cá em Portugal. Eu perguntei o porquê de ele ser então ilegal; e ela diss q ele N tinha direito porq N tinha emprego. Ora, como a mãe do meu filho é tb brasileira, eu tenho conhecimento de causa, e informei-lhe q qualquer brasileiro q prove em como mora cá em Portugal há pelo menos 5 anos (e 2 testemunhas da mm freguesia podem servir para obter 1a prova), tem direito automaticamente ao visto de residencia (sim, o Lula conseguiu isso para os brasileiros; basta procurar a informação para saber isso). Ela arg1entou q n; q isso N era assim e blá blá, e só s calou qd eu lhe diss q a mãe do meu miúdo era brasileira e q eu sabia isso mt bem... Aí ela começou a perguntar-me então como poderia ele fazer e tal, e eu dei-lhe o meu número de telemóvel, para ele me contactar e q eu me comprometia a ajudar-lhe nisso! Sabes qd é q ela me ligou??? Nunca e fez agora em Setembro 1 ano.. Pois é, a vontade de trabalhar deve ser mt... Nas vezes seguintes q ela s cruzou comigo na rua ou na mm tasquinha, fugiu de mim (:|). Acho q é "medo" de me enfrentar e de eu lhe perguntar sobre o rapaz... Pois é, na minha opinião ela deve ter então mt medo, mas pouca vergonha... Falar mal é fácil, agir corretamente, às vezes dá mt trabalho...


De Ricardo Cruz a 26 de Setembro de 2011 às 08:21
Viva,
Em 1º quero q s saiba q partilho inteiramente da tua opinião. Acho q o maior problema de Portugal actual (e de quas todo o mundo ocidental) s baseia na mentalidade q cada vez + s entranha na nossa sociedade: cons1ismo. Se já tinha esta ideia, agora, q estou aqui em Timor, tenho a certeza absoluta. N vale a pena estar a explicar +, pois já tive oportunidade de to dizer pslmente e a todo o mundo nas minhas notas do facebook. Mas só para reforçar, chega a meter-me nojo a forma como o ocidente encara esta coisa tão bela q é a vida.
Concordo tb q antigamente vivia-s c mt + privações do q hoje. E em relação a quem diz q antigamente havia menos stress e menos fome... Bom, a escolha tem vindo a ser feita pelas próprias pessoas q fazem questão de cont a cons1ir o lixo q temos vindo a inventar: perf1es, smokings, pulseiras, sapatinhos de vela, televisões plasma, ferraris, armas de fogo, armas de brincar, transformers, fast food, etc, etc, etc... sendo q somos nós próprios q damos prioridades a isso em relação ao convívio c os amigos, ao ser feliz e ao descanso... Nós precisamos mesmo dessas tretas para sermos felizes ou nos sentirmos + seguros?? Eu tenho provas em como n! Volto a invocar as minhas notas no facebook para sustentar esta minha afirmação. N sou contra terem inventado isso, nem a favor da censura (lol, q Salazar queime para sempre no inferno!!! Tive a sorte de escapar p pouco à sua longa ditadura e imperialismo; sim q ninguém fala do imperialismo dele...). Acho q o segredo estaria no q tu mesmo reclamas: As pessoas deviam pensar c a própria cabeça; deveriam ser instruídas pelos seus pais a saberem q nem tudo o q s lê/ouve é verdade (e n, n é a escola q tem a obrigação de fazer isso, embora a escola do meu filho, e c certeza, mts outras, mt ajudam neste aspeto). As pessoas têm de ter noção das consequencias futuras do q s faz hoje; têm de saber a consequencia de dar 1 carro ao seu filho ao invés de 1 abraço qd o mesmo entra na faculdade.
Em relação a culpas ou desculpas... Eu sou da opinião q grande parte da culpa está sim, na geração anterior à minha. Optaram p s concentrar no trabalho, na obsessão do consumismo, desresponsabilizando-s da edução dos seus filhos. Hoje, são esses que, lamentavelmente s auto-intitulam de "geração à rasca", mas q n posso mesmo de deixar lhes chamar o nome inicialmente dado de "geração rasca" (pes embora, q quem tenha dado ess nome sejam, para mim, os culpados de isso acontecer). Mas é essa a geração q percorre as ruas de Lisboa, deixando atrás de si 1 enorme rasto de lixo, quer material, quer sonoro, quer informativo; c 1 charro numa mão e uma cerveja na outra, à frente da televisão a reclamar p 1 emprego!!!!


De Ricardo Cruz a 26 de Setembro de 2011 às 08:23
A todos: eu, tal como a Nynhas, qd decidi começar a minha vida (n, ainda n tinha terminado o curso; pois estava cego c essa cultura da geração rasca; o q me fez mudar foi mesmo a notícia + linda q tive até hoje: a de ser pai!), enviei + de 100 CV's em menos de 1 semana. Resultado imediato: arranjei emprego como copeiro num restaurante japonês em menos de 4 dias, a ganhar 450€. Foi o pior emprego da minha vida, mas c esses 450€, começei a minha vida independente. Resultado quas imediato: cerca de 1 mês depois entrei para a Siemens Networks, na área q eu queria. E aí já passei a ter 1 ordenado inicial de 750€; passado 1 ano já tinha atingido os 4 dígitos de ordenado! N posso deixar de fazer notar, q essa vaga no restaurante japonês tinha sido deixada, p 1 "amigo à rasca", (ao qual agradeço imenso :D) q n estava para s sujeitar a ter 1 trabalho tão baixo, c 1 ordenado tão baixo, e a ser mandado pelos indianos e psl do bagladesh q trabalhavam naquela cozinha. É q ele afinal já tinha o seu renault turbo, nunca lhe faltou a papinha boa e a horas à sua frente, ténis da nike e adidas, roupinha da resina, e sempre q quis foi aos festivais e discotecas q bem lhe apetecia... Na verdade, e felizmente para ele (e minha alegria), pouco tempo depois ele tb acordou para a realidade!!
No início morei n1 quarto c a mãe do meu filho já grávida. Casei-me c as alianças + baratas da ouriversaria + perto de casa. N pedi ajuda à minha mãe nem ao meu pai, pes embora, o pai dela tenha ajudado p iniciativa dele, tendo depositado 500 reais (aprox. uns valiosos 165€) na nossa conta (sim, ela é brasileira)! No fim do 2º mês, e antes de ter recebido o 1º ordenado da siemens, alimentem-me durante a última semana de arroz c caldo knorr; pois só assim a mãe do meu filho conseguiria ter carne, peixe e vegetais até ao fim do mês. Prescindi do meu organics e pasta de dentes de farmácia, para substituir pela marca "É" (cerca de 1/3 do preço, e a qualidade... hoje reparo q a qualidade é a mm e continuo a usufruir dos seus bons preços!!! lol).
Para ir às várias entrevistas andava kms c o meu único fato. Durante 2 meses fui a pé desde o centro da amadora (mesmo perto do centro de emprego) até Alfragide para trabalhar. Autocarro era, para mim, 1 luxo! Assim, consegui juntar dinheiro e c a ajuda de 1a amiga nossa ("governanta" da casa onde morávamos) comprei 1 carro a pronto (hoje q consegui melhores condições q ela, sou eu q a ajudo ao ser fiador da casa onde ela está agora q é bem melhor do q a q partilhava conosco). Tenho 1 carrito barato, mas comprando em primeira mão. Estou quas a terminar de o pagar :D. Tenho seguro de saúde, para mim e para o meu filho :). Tenho internet em casa de boa qualidade e posso comer à vontade. Esta foi a minha história...


De anynhasblog a 26 de Setembro de 2011 às 18:08
Excelente exemplo de vida! Mts pessoas deviam ler esse relato! :) Parabéns pela tua força e coragem! :)


De Ricardo Cruz a 26 de Setembro de 2011 às 08:25
Gostava de discordar, s a Nynhas me permitir, c 2 opiniões dela:
1. Sistema Nacional de Saúde: lol, Sabiam q o SNS de Portugal é o sistema público de saúde que, na europa, tem já menos recursos? Ok, isto n espanta pois n? Agora o q espanta é q eles ganharam tb nos últimos anos, consecutivamente, prémios internacionais p ser precisamente o melhor sistema de saúde em termos de resultados na área? Por exemplo, eles conseguiram diminuir drásticamente a mortalidade infantil de Portugal, q era das + altas, e passou a ser das + baixas... Pois é, isso ninguém publicita, e porquê? Pelo motivo q a Nynhas diz: essa notícia n dá tanto dinheiro do q dizer q está escandalosamente mal!!! Há q falar bem tb :)
2. America: desculpa lá Nynhas, mas acho q precisas de 1a liçaozinha de História... Os eua são 1 dos maiores causadores de toda esta situação, e o + irónico (ou n) é q conseguiram o q conseguiram à nossa custa: eles são extremamente oportunistas e n "unidos" ou "inteligentes"!!! Relembro o q era a américa antes da primeira guerra mundial... 1a terra sem lei, onde o psl s matava p mt pouco. A taxa de mortalidade era altíssima; havia várias doenças p lá; e n havia mt escolaridade comparado c a europa. Acontece q c a primeira grande guerra, eles aprenderam 1 truque mt sujo q têm vindo a praticar até aos dias de hoje: ao haver 1a guerra fora do território deles, eles ficam c a oportunidade de destruir 1 país q estava melhor do q eles (alemanha, frança, etc..), fazendo c q depois do fim da guerra esses mesmo países necessitem desesperadamente de ajuda para s re-erguerem... Ora aí aparecem os eua, todos "solidários" a s proporem "ajudar"... Ajudar 1a "ova torta" (tive de emendar a palavra anterior lol)! Eles vão é cobrar imensos juros e ganharem imenso c isso. No fim da primeira guerra foi qd os eua começaram o seu boom, à custa dos juros q vinham da europa. Conseguiram penetrar as suas marcas (criadas nesse preciso momento devido à oportunidade) pela europa dentro, destruíndo a indústria europeia. Ao inicio eles N "souberam crescer" e evoluiram depressa de +, e acabaram tendo 1a enorme crise, nos finais da década de 20... Mas para eles, isso foi 1 mal q veio p bem, pois assim eles aprenderam a crescer; e qd s dá a 2ª grande guerra, eles já tinham a lição bem estudada. Esperaram até à última para ver q lado haviam de apoiar e n deixa de ser engraçado os coitadinhos q s fazem passar p terem sido atacados 1 vez no seu território (pearl harbour)... Imaginem s tivessem sofrido metade do q sofreu a alemanha, austria, polónia, frança, etc... Depois dessa guerra, eles afirmaram-s finalmente como o país superior (só s pensava q a URSS podia competir c eles, mas na verdade essa crença era devido ao facto de nenhuma informação ou pessoa entrar ou sair desse território; pois c a desmembração da URSS s viu o verdadeiro estado daquilo). O povo dos eua são filhos de prostitutas, ladrões e assassínos q a europa deportava para lá sob setença. E hoje a cultura deles é precisamente a herdada p essas pessoas: oportunismo, à custa das vidas dos outros; pelo menos é a minha opinião. Se n, veja-s o q eles fazem, p exemplo, no médio oriente (e tentaram o mesmo na ásia); em q discurtinam 1 pequeno movimento, e vão logo para lá aumentar a confusão, para venderem armas, e para depois colocarem no poder alguém q já sabem q vai causar + confusão (afeganistão p exemplo, em q o bin laden era o líder do grupo minoritário, ou a história de palestina, israel e faixa de gaza...) para depois voltarem a ter a mm oportunidade. O q + me irrita no meio disto tudo é q a europa anda "ceguinha" e "fascinada" c o estilo de vida americano, e apoiam eles. No meu entender, estamos super errados. Se n compara os preços da gasolina em Portugal antes da invasão ao afeganistão e depois da invasão ao afeganistão. Compara tb os preços da gasolina nos eua no mesmo período: É 1 pequeno desafio q te/vos proponho e depois digam-me o resultado, p favor!!
Obrigado Nynhas pela tua opinião. Foi importante para mim saber q n sou o único inconformado c a mentalidade actual da geração rasca.


De anynhasblog a 26 de Setembro de 2011 às 17:59
Mas eu sei isso dos EUA! Eles "subiram" com a ajuda das Guerras Mundiais que foram negativas para as maiores potências europeias! Mas se te recordares os EUA no incio do século XX no eram nenhuma anarquia... Onde foi feito o 1ºautomóvel- Ford? A construção do Empire State Building? O crash da Bolsa? A migração massiva para os EUA em busca de melhores condições de vida... Emigrantes esses que tal como os imigrantes portugueses fartam-se d etrabalhar no estrangeiro (se calhar mais que cá) para mostrar o que valem! Lá eram tds a tentar fazer-se valer... resultado? desenvolvimento...
Claro que as guerras os ajudaram... Mas olha para a Alemanha... ficou desfeita apos a II Guerra! E olha que a nível de desenvolvimento põe-nos a um canto? Sabias que lá os livros escolares passam de ano para ano para os alunos? (e não estou a falar de SASE) Tenho lá familia que queria voltar para Portugal após a reforma... mas já se arrependeram face ao estado da vida portuguesa!
Achas que eram pessoas deportadas que migravam para os EUA? Recordas-te do Titanic!!! A felicidade do Jack e dos amigos, com os bilhetes na mão a dizer que iam ficar ricos! Terra das oportunidades... quantos não migraram para lá e sofreram para lá entrar! Já visitaste a Elis Island? Sabes o que é meses e meses de espera pelo visto para entrar na cidade? SAbes o que é morrer nessa espera? Não, não era só bandidos! A América é uma mistura de várias nações! Bolas tive tios-avós a migrarem para o Canadá, inclsuive os meus avós tiveram carta de chamada e até ponderaram... mas o destino deles não era esse e a minha família do lado materno é bastante digna e são tudo menos ladrões e prostitutas! Portanto não é justo e correto o que estás a dizer sobre a herança americana serem só filhos de ladrões e prostitutas! É mentira! As rivalidades que há lá, existem proque eles aglomeraram-se de acordo com a sua nacionalidade, daí a justificação de China Town e outras zonas... Se fosse deportação de pessoas sem "eira nem beira" duvido que os EUA fossem o que sao hojes! Lamento mas discordo dessa tua visão dos EUA! E quando falas em eles serem oportunistas, é melhor também olhares para os nossos políticos e os outros em geral... O ser humano é oportunista! Está-lhe no sangue e quando pode rouba! E quanto a essa ideia da gasolina dos EUA... sabias que eles têm montes d petroleo e continuam a importá-lo? Ah pois...
Olha não vale a pena essa historia de país que lixa país, pois em Portugal... um arquipélago tb está a lixar o continente! E somos do mesmo país!!!!


De Ricardo Cruz a 26 de Setembro de 2011 às 20:01
ok... eu exagerei um pouco... mas continuo a achar que estás a ser demasiado romantica (e deslumbrada) sobre a história da america. Considero que é tv/cinema a mais (ainda para mais tv e cinema americano, nada faccioso e pacial, portanto...).
sim, pouco antes da 1ª guerra mundial já havia muita gente rica nos eua, e nova iorque começava a prosperar. Tal devia-se à riqueza natural do seu território (prata, algodão, fruta, tabaco, pecuária, etc...), e às oportunidades oferecidas. Contudo, essas oportunidades eram devido à combinação do facto de ser uma terra rica, extensa, ainda por explorar, e com a preciosa ajuda dos escravos africanos, sempre disponíveis nos mercados costeiros, qual egipto, grécia ou roma... não havia muitas leis, o que permitia enriquecer facilmente... em relação ao enriquecimento de muitos após guerra, vê os filmes de "O Padrinho" (muito bom o retrato da américa em relação à imigração americana e seu enriquecimento já depois da 1ª guerra)...
é verdade que nem todos os estados eram assim, no norte havia algum desenvolvimento: a produção de matéria-prima do sul, acabava sendo escoada pelo norte, através da industrialização e da comercialização dos mesmos. aí eles tiveram muito bem, é verdade... tb há que dar o braço a torcer!
É claro que com tamanha oportunidade ali à mão de semear, muita gente inteligente (e não criminoso) foi para lá, em busca de riqueza. Mas a origem da cultura que lá se vivia era sim, consequencia das pessoas que poucos séculos antes para lá tinham sido deportadas. Quando falas das chances dos teus antepassados irem para lá, com certeza já a America era independente, e viver-se-ia então o seu apogeu; mas embora não tenhas referido, aposto que foi já depois da 1ª guerra mundial... o que, a ser verdade, irá de encontro ao que inicialmente eu dizia.
Alguns factos sobre america:
*modelo ford-T inicia a ser produzido na argentina em 1914, e atinge o sucesso em 1920 com a fábrica do brasil -> http://pt.wikipedia.org/wiki/Ford_Model_T
*emprire state building terminado de construir em 1931 -> http://pt.wikipedia.org/wiki/Empire_State_Building
*titanic foi construído na irlanda, por inglaterra (maior potencia da altura), sua viagem inaugural (e única) em 1912 -> http://pt.wikipedia.org/wiki/Titanic (infelizmente não consegui encontrar referencias no pouco tempo de pesquisa, mas tenho quase a certeza que a maioria da sua tripulação de classe baixa eram ainda, naquela altura, fugitivos de prisões e de juízes, em busca de novas oportunidades, numa terra "livre", livre pois não havia leis... seria esse o caso do "famoso" jack (revê a parte inicial do filme), para já não dizer que ele é uma personagem completamente fictícia, de um filme romantico feito para ganhar dinheiro e ser vendido no mundo ocidental, precisamente onde as pessoas estão deslumbradas com o estilo de vida americano; com certeza que se fores ver referencias sobre a america de outros pontos de vista, como russo, asiático, etc, encontras muita informação contrária à que aqui consumimos...).

Experimenta consumir cultura não-americana, e encontrarás outros pontos de vista que contrariam a tua visão atual...

Repara que a maioria das invenções "americanas" são quase todas realizadas por inventores extrangeiros, acabados de chegar à américa; não deixo de me irritar, ao procurar por televisão a cores no wikipedia (origem americana e por isso tb facciosa neste aspeto), não encontrar referencia do seu inventor que era... português.

congelado.. brrr | Início da discussão

Comentar post

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013