Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Sábado, 10 de Setembro de 2011
Férias 2011 - Bratislava (continuação)

Conforme me queixei, a viagem para Bratislava foi um pesadelo para mim:

 

- Sentia-me indisposta e não saía da casa de banho com cólicas (o que num comboio é "excelente");

- Como existem lugares marcados e não marcados, levámos com um gajo que resolveu ocupar o lugar ao meu lado. Eu ia de frente para a minha mana e pai. Pela conversa que ele travou com o meu pai, o mesmo era espanhol e ainda por cima estava doente (gripe ou algo parecido). Cheirava mal e ressonou quando adormeceu… E nem a minha querida leitura me conseguiu absorver daquele contexto;

- Pela primeira vez na vida senti-me mal disposta numa viagem… senti vontade de vomitar e como tal pedi ao meu pai para ficar ao lado da minha irmã, para me encostar ao ombro dela e poder dormir um pouquinho (em vão);

- Para cúmulo, na última hora de viagem, entraram na carruagem onde viajava, uns 20 “escuteiros” ou lá o que era… vinham com grandes mochilas e para meu espanto foram de pé pois já não haviam lugares na carruagem. Mas eles nem se deram ao luxo de procurar lugares vagos noutras carruagens do comboio… Ocuparam os corredores condicionando a passagem para a casa de banho… Mas pior é que junto às malas gigantes, vinham pendurados de fora ténis todos sujos!!!! Era um cheiro… Eu se já estava mal disposta, pior fiquei…

 

 

Quando chegámos a Bratislava fiquei aliviada momentaneamente para depois entrar em pânico ao perceber que a vendedora de bilhetes não sabia uma única palavra em Inglês! Não é exagero… Eight? Sunday? August? Alguém que contacta com turistas não sabe pelo menos os números em inglês? Dias de semana?

 

Fiquei a pensar que tinha ido dar ao 3ºmundo… Mas afinal tudo não passou de um susto. Os funcionários do Hotel arranhavam o Inglês, bem como a maior parte dos empregados dos restaurantes. Se bem que houve excepções.

 

O hotel tinha umas excelentes camas. A meu ver muito confortáveis. Era o Avance Hotel.

 

 

Localizado numa zona perto do rio Danúbio e digamos que central tendo em conta as poucas atracções de Bratislava.

 

Eu diria que no dia em que chegámos, vimos Bratislava toda!

Sou muito sincera! Achei uma cidade “querida”e acolhedora. Fez-me lembrar em parte Salzburg. Mas nada a ver…

 

E finalmente na Eslováquia podíamos usar os nossos eurinhos… Por isso aproveitei para comprar recordações…

 

Realmente Bratislava não tem muito para ver, mas não foi por isso que não fotografamos a cidade quase toda.

 

A famosa Porta de S. Miguel:

 

 

 

Algumas das estátuas espalhadas pela zona da Praça da Câmara Municipal:

 
 
 
 
 
A fonte da referida Praça da Câmara Municipal (Na Hlavné Námestie):
 
 
A Igreja Franciscana:
 
 
Conhecem?
 
 
Câmara Municipal da Cidade Velha:
 
 
O Palácio Grassalkovich:
 
 
O Castelo de Bratislava, que a meu ver de Castelo não tinha nada:
 
 
A catedral de S. Martinho:
 
 
Não coloco a foto completa porque parte do edificio estava em obras. Pagámos para lá entrar e mais uma vez não nos deram autorização para tirar fotos ao seu interior. Visitámos os calabouços onde existem túmulos. O local parecia assim um pouco misterioso e até assustador. Quando saímos dos calabouços tivémos vontade de fechar a porta da alçapão para fechar os turistas que lá estavam lá dentro. eh eh Claro que não o fizémos...
 
Há ainda a referir que assistimos à Eucaristia Dominical nesta igreja (e aí não pagámos para entrar). Claro que não percebíamos nada do que o Padre dizia, mas o ritmo das orações era igual ao de Portugal, o que dava para as balbuciar.  
 
Como Catedral de S. Martinho, a mesma possuiu no seu interior uma estátua alusiva à lenda que tão bem conhecemos. Pelos vistos a Lenda de S. Martinho também é famosa em Bratislava.
 
 
A imagem seguinte representa uma roda que havia no chão com a indicação da orientação de diversas cidades, bem como a respectiva distância.
Obviamente que também indicava os 4 pontos cardeais. 
 
 
Desculpem a perna da intrometida que entretanto decidiu passar quando íamos tirar a foto.
Das cidades mencionadas, não estava Lisboa (para variar)!
 
Algumas das cidades mencionadas com a devida orientação e distância eram:
Oslo - 1373 Km
Berlin - 555 Km
Praga - 200 Km
Londres - 1288 Km
Bruxelas - 971 Km
Viena - 57 Km
Madrid - distância ilegível na foto
Lima -distância ilegível na foto
Buenos Aires - distância ilegível na foto
Toquio- distância ilegível na foto
Hong Kong- distância ilegível na foto
etc...
 
Visitámos o Museu de Produção do Vinho. Tinha caves com exposição de instrumentos rudimentares para a vindima e respectiva produção de vinho.
 
 
 
 
No resto do Museu basicamente existiam mobílias antigas e uma exposição para retratar aquela que foi em tempos uma espécie de escola para rapazes e meninas.
 
Gostei dos vestidos que representavam as fardas dos alunos:
 
 
Sem dúvida, roupa extremamente prática!
Na foto também se avista uma lareira, como as que eram usadas em Áustria.
 
Seguem-se outras fotos de Bratislava:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
(eh eh quem conseguir descobrir o truque leva um prémio)
 
Como ficámos dois dias completos em Bratislava, resolvemos fazer uma visita de Barco a Devín.
 
Reparem que as idas tinham a duração de 90 minutos e os regressos 30 minutos. A razão deve assentar no sentido da corrente do rio Danúbio. Outro motivo é que assim dão a oportunidade aos turistas de usufruirem da viagem durante a ida, para que depois no regresso o objectivo seja somente regressar a Bratislava.
 
 
 
Na minha opinião a viagem para Devin foi muito agradável! Verifiquei que o Rio Danúbio dividia a Eslováquia da Áustria. Assim uma margem era austríaca e a outra eslovaca.
 
 
 
 
 
Em Devín tinhamos o respectivo Castelo para ver. E a minha preocupação começou a residir no facto de o céu estar bastante enublado e escuro... o que anunciava a vinda de chuva...
 
 
 
Mas ainda conseguimos visitar Devin, ver o Castelo e as vistas da fronteira natural entre as Eslováquia e Áustria:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O clima era bastante abafado e húmido. Não aguentei o calor e enfiei a cabeça debaixo de uma fonte. Mal eu adivinhava que a seguir ia chover.
 
Na seguinte imagem vê-se claramente o estado do Rio Morava quando chega ao Danúbio:
 
 
 
E eu fiz o infeliz comentário:
"Pois, é tal e qual como os espanhois que mandam toda a m.... para o Tejo e depois nós em Portugal é que apanhamos com tudo!"
 
Errr... depois reparei que não muito longe de mim estavam espanhois que devem ter entendido o que eu disse...
Dei meia volta e saí dali a rir e a questionar-me se eles teriam entendido ou não...
 
Ainda no Castelo de Devín havia um poço fundo, fundo, fundo... sim, quando se deitava uma caneca com um pouco de água, passado alguns segundos é que ouviamos a água chegar ao fundo com o som característico d eum "balde de água".
Os físicos que expliquem...
 
 
 
Conforme o céu já havia indicado, começou a chover. A corrente do rio tornou-se mais forte. Como consequência o barco ao virar para regressar a Bratislava baloiçou de tal maneira que não sei como não virou. A loiça do barzinho do barco andava de um lado para o outro, as portas batiam com força... mas depois lá seguimos para Bratislava calmamente!
 
No dia 8 de Agosto, seguimos então para Budapeste na Hungria. Desta vez a viagem de comboio além de ser menor, tinhamos um compartimento no comboio dividido com os nossos lugares. Partilhámos o mesmo com umas jovens dinamarquesas que estavam a fazer um interrail.
Mas ainda trocámos umas impressões com elas e trocámos mails do facebook.
 
 
 
 
Em relação a Bratislava recomendo que visitem a cidade paralelamente com Viena. As cidades ficam muito próximas e Bratislava vê-se em apenas um dia!
 
 


Publicado por... anynhasblog às 10:00
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

2 comentários:
De Ricardo Cruz a 25 de Setembro de 2011 às 14:56
Eheh, eu não sou físico; mas se o poço era assim tão fundo, é natural que o som ao subir fosse batendo nas paredes do poço, provocando eco; ora, como o diâmetro do poço e bastante inferior à altura do mesmo, é normal que um eco voltasse a bater do outro lado da parede do poço, e assim por diante enquanto ia subido essa "replicação" do som de um pouco de água a cair... Eu não sei se estou certo; mas faz-me lógica que assim seja...
Grande viagem! Como não me respondes no facebook, tenho aproveitado para me atualizar em relação ao teu blog... eheh

Beijinhos!!!


De anynhasblog a 26 de Setembro de 2011 às 17:40
Já respondi no facebook... e olha que não foi só uma mensagem! Exatamente! A teoria do som do poço é como tu dizes... mas era mesmo mt fundo...
A viagem foi mt boa! Mas a nível de Bratislava acho que só compensa visitar durante uma tarde... é mt pequenina a cidade... Tipo aconselho que quem vá a Viena, que dê um "pulinho" a Bratislava pois é relativamente perto... Numa tarde vê-se tudo! A não ser que se queiras passear pelo Danúbio... Outra hipótese é ir de Viena a Bratislava de barco pelo Danúbio! :) Pode-se ir e vir num dia! :)


Comentar post

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013