Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Domingo, 5 de Junho de 2005
your strong body is slowly down

Your strong body is slowly down... (adaptado da música da Madona "Your little body is slowly down" no filme Evita, qd esta estava a desfalacer com tumor...)

 

 

Ninguém diga que é rico, porque a qualquer momento pode ficar sem nada...

 

Ninguém diga que tem fama, porque a qualquer momento outra estrela pode "brilhar" mais...

 

Ninguém diga que somos livres, porque a qualquer momento podemos ficar "escravos" de algo...

 

Ninguém diga que tem tudo o que sempre quis, porque a qualquer momento podemos perder algo daquilo que mais gostamos...

 

Ninguém diga que é feliz, porque a qualquer momento, tudo à sua volta pode desmoronar-se...

 

Ninguém diga que tem saúde, porque nesse preciso momento muitas células estão em desenvolvimento e a dsenvolver mutações...

 

Nada do que dizemos é nos fiel... nada do que dizemos vai totalmente de encontro com o real...

 

Pensar que há 1,2 meses sentia o calor da minha família toda unida... E pensar agora que nada disso me resta... apenas a recordação...

 

Não quero aceitar... não... não quero ver o real... kero sonhar... viver na ilusão... ver que todos estes últimos dias n pasaram de um pesadelo...

 

Quando acordar vou para a escola e ás 13:10 ele vai-me buscar como fazia quando eu andava no básico...  E volta a levar-me de carro e vai me fazendo perguntas do teste que tenho... perguntas que me sempre me irritaram porque nunca tinham a ver com o que eu dava... mas que agora tenho saudades...

 

Tenho saudades de ouvir a melodia que ele tirava da flauta... Há tanto tempo que não oiço as notas que ele arrancava da flauta: "O Condor passa"; "Edelweis", etc... Fosse o que fosse, ele arranjava sempre um meio de encontrar qualquer música que fosse...

 

Sim, agora revelo... é o meu avô...

 

quer dizer... avô e vôvô era o que lhe chamava.... mas ele era e é mais do que isso para mim...

 

Não posso dizer que seja um "segundo pai" porque ainda é mais que isso...

 

Não sei dizer... só sei que ele ocupa um "pedestral" na minha vida...

 

Não consigo imaginar a minha vida sem ele...

 

O que é que é aquela Igreja da Reboleira sem o timbre da sua voz a transparecer nos cânticos?

O que é o parque da GNR da Costa, sem o sorriso e a amabilidade com que ele sempre tratou toda a gente?

O que vai dos jogos de futebol sem a alegria e a energia que ele transmitia?

O que é a casa onde eu dei os meus primeiros passinhos, sem o som da "flauta", a mesa da sala com papeis e a poltrona com vincos de ele ter estado lá sentado?

O que é que vai ser da minha avó que apenas viveu 16 anos dos seus 62 anos de existência sem ele? Com quem é que ela vai refilar? E a minha mãe? Quem lhe vai dar os apoios e conselhos de alguém mais experiente na vida? E eu e a minha mana... a que figura masculina vamos recorrer quando chegamos a casa depois de termos sido assaltadas, termos um pneu furado, um trabalho com madeira por fazer, uma música na flauta para aprender...????

Quem é que me vai dar o nó da gravata no fato académico? Acho que nunca mais mexo naquele nó...

 

Avô desculpa... estou a pensar em tudo e em todos... menos em ti!

Estás calmo e sereno na cama do hospital... ainda hoje gritaste golo quando portugal marcou...

Ainda deves ter aquele sorriso nos lábios de vitória futebolistica que te caracteriza...

Deves estar a sofrer porque apesar de teres muita força e ires lutar contra esta doença que te derruba lentamente de dia para dia, preocupas-te connosco... tens medo de nos deixar...

Tens medo que nos aconteça alguma coisa.... só ficas seguro e descansado quando ao fim do dia me vês a mim e à mana...

 

Não descansas enquanto não nos vês... e nem um abraço nos podes dar... porque não podes ter contacto com as bactérias que trazemos do exterior...

 

Maldita doença que tão silenciosamente e "discretamente" te afasta lentamente de nós...

 

Mas enquanto eu tiver pernas e força para andar não vou deixar de te ver todos os dias, nem k seja por breves minutos... Aquela palmadinha que damos na mão um do outro, depois de a desinfectar, é o suficiente para me dares força, para sorrir para ti e não chorar e dizer-te o que aqui digo...

"Em vida irmão... em vida..." lembro-me como se fosse ontem... estava a ficar aborrecida na missa e tu desfolhavas o livro de cânticos e deste-me a ler esse poema...

 

Não te quero fazer sofrer com as minhas palavras, desculpa mas não podes saber já a importância que tens para mim... quero que estejas forte para ires de encontro para o que se aproxima... e não quero que penses que me estou a despedir de ti...

Ainda tenho Fé num milagre... tenho Fé que esse pulmão se cure com a ajuda de transfusões e antibióticos... e que essa "mancha" seja só de pneumonia... nada mais...

 

Tenho Fé nas tuas células da medula... que de um momento para o outro passem a produzir globulos como deve ser...

 

Mesmo sabendo que isto tudo cientificamente é um disparate eu não quero deixar de ter Fé...

 

Tenho Fé... e se não fosse ele, esta Fé não existiria... Foi ele que me começou a levar à igreja e que me deu a conhecer o Amor de Jesus...  foi com a ajuda dele que dei o primeiro passo na Fé Cristã...

 

Nunca pensei que isto doesse tanto... Eu sei que todos nós temos que partir um dia... mas nunca pensei lidar com isto, pela primeira vez, com alguém tão importante para mim...

 

Será que a "missão" do meu avô tem que terminar aqui? Ele não tem mesmo mais nada a fazer neste mundo? Será assim, meu Deus... ?

 

Se alguém ler isto... e acreditar em Deus... (pode acreditar de maneira diferente ou como eu)... mas estamos a fazer uma corrente de oração todos os dias às 22 horas... façam isso pelo meu avô... dêem-lhe força... para viver... ou para suportar estes maus momentos que se avizinham... É só 1 minuto para uma oração... o que é isso em relação aos restantes 1439 minutos diários que temos?

 

Se houver alguém que já tenha passado por uma leucemia, fosse ela linfoblástica ou mieloblástica (a do meu avô), partilhem isso comigo... eu não me canso de todos os dias de vaguear pelo mundo da informação digital em busca de novas esperanças... mm k elas não estejam ao meu alcance...

 

E desculpem os meus desabafos via net... podia guardar isto para mim ou para uma folha de papel mas parece que ao escrever isto aqui, exteriorizo...

Desabafo...

mesmo que isto seja lido por pessoas k n me conhecem... e que fikei com mt mal impressão de mim, eu não quero saber...

 

Prefiro deitar isto tudo para aqui em vez de ser para ao pé de outros que eventualmente possam sofrer com o meu sofrimento...

 

Um beijo a todos os que me compreendem e os que leram isto...

 

 


I feel:
Estou a ouvir...: Madona "your strong body is slowly down..."

Publicado por... anynhasblog às 20:00
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013