Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Segunda-feira, 25 de Abril de 2011
25 de Abril 2011 - Revolução emocional...

Amanhã começa o 3ºPeríodo…

 

Estas pequenas férias da Páscoa souberam bem pois pelo menos deram para descontrair dos meus alunos… Só pelo facto de não os ver e não ter que os aturar já ajuda imenso…

 

Depois sempre pude descansar… já andava com sinais de cansaço extremo: - pálpebra a latejar, escrever “r” em vez de “s” (e vice-versa), sono constante, horas por dormir…

 

O 3ºPeríodo é mais pequeno, embora também vá ser muito exaustivo… Mas o ideal é não sofrer por antecipação e ir com calma… “Nada de pôr a carroça à frente dos bois…”

 

Nos últimos dias tenho sofrido um misto de emoções e confirmo novamente que ando a precisar de ir ao psicólogo…

 

Deixei os anti-depressivos pois meti na cabeça que aquela treta não me andava a fazer efeito. Mas sinceramente acho que não o devia ter feito…  

 

Optei por vir “desabafar” no meu blog pois só recorrendo à escrita é que consigo deitar cá para fora tudo o que sinto.

 

É certo que há coisas que não publico por serem pessoais, tento pois omiti-las de modo a respeitar um pouco a minha privacidade.

 

Bem em primeiro lugar deveria estar a planificar o 3ºperíodo ou a fazer os trabalhos da acção de formação ou a corrigir uns TPCs de 2ºPeríodo, mas tinha que aqui vir… Foi mais forte que eu… Inclusive, vinha agora a chegar do Colombo e tive aquela tentação de ir passear de carro, mas pareceu-me mais confortável vir escrever aqui.

 

Neste momento apetece-me chorar ou simplesmente pegar numa faca da cozinha e cortar as veias dos meus pulsos… digamos que quem me conhece bem, sabe que tenho problemas de auto-estima e neste momento sinto-me fracassada perante algo que me assombra e do qual tenho medo. Não consigo solucionar/combater este “adversário” e sempre que penso nisso ainda lhe dou mais força face à raiva da minha incapacidade de enfrentar.

 

Estou completamente desolada, penso em estratégias extremas que outrora usei, mas não sei onde está a minha força de vontade.

Queria poder dizer como tenho dito ultimamente, a partir de hoje faço isto… e seguir com isso até ao fim, mas porque é que desta vez não sou capaz???

 

Este problema está a acabar comigo na minha relação para com tudo e todos… acabo por ficar mais agressiva face à minha incapacidade e acabo por discutir e arranjar conflitos com a família.

 

Já que eu não consigo superar-me a mim mesma neste problema resta-me aplicar medidas extremas e talvez se definir por escrito várias metas as coisas funcionem melhor. E se aplicar castigos para o não cumprimento dessas metas, talvez as coisas corram melhor. O ser humano funciona bem com castigos… estes começam a aplicar-se desde muito cedo e há estudos que comprovam que estes controlam o comportamento humano (Reforços negativos versus reforços positivos).

 

Custa-me não falar directamente das coisas, mas para mim não faz sentido publicar um post que não vai ser lido, mas também não posso controlar quem lê o meu blog…

 

Um segundo problema que enfrento é uma crise de identidade religiosa. Acho que é normal, não é a primeira, só que a minha família não percebe que a mesma não se resolve à força e muito menos puxando para o lado que lhes é mais favorável. Isso acaba por ser pior, pois acabo por vergar para o lado contrário. Odeio ser pressionada! Como já tive uma vez esta crise, o ideal é deixarem-me em paz a reflectir o que tenho para reflectir.  Não estou a fazer nenhuma birra de criança, tenho 26 anos, sei o que quero! Mas simplesmente odeio que os outros interfiram para o lado que lhes parece melhor. Isso é prejudicial para a minha reflexão!

 

Visto as afrontas que tenho tido por casa com a minha família, tenho dado por mim a procurar casas na internet (para alugar ou comprar). A nível económico esta época não favorável para a compra de casa, mas não existem casas para alugar a preços acessíveis. Fazendo as contas a nível de prestações de compra e aluguer, é incrível como se consegue uma casa com melhores condições a pagar uma mensalidade de 300 euros do que um aluguer de 300 euros… Aliás nada se aluga por 300 euros a não ser um quarto ou uma casa a cair de podre onde não cabe nem um sofá…

Por menos de 300 euros, consigo uma prestação de um T1 remodelado, na minha zona. Quero tanto ter uma casa para mim, ter o meu espaço, não ter ninguém a controlar o que faço ou não faço, ninguém a comentar a minha vida, ninguém a julgar o que como ou deixo de comer, ninguém a criticar-me destrutivamente ou a mandar-me bocas…

 

Depois preciso do meu espaço, preciso de aprender a gerir a minha casa, não quero que a lide doméstica seja novidade para mim um dia que vá viver com alguém… Não quero que isso seja um obstáculo na recente relação em que tanto se investe.

E depois não quero me sentir parte da chamada “geração canguru” que não sai de casa dos “papás”. Bolas, a minha mãe e o meu pai com a minha idade já estavam casados, tinham a sua casa e já me tinham a mim!!!

Quando me dizem que não estou estável a nível de carreira, mais posso dizer que eles também não estavam, além de que tinham menos habilitações que eu… Já para não falar de que se espero por estabilizar a nível profissional, não compro casa antes dos 50 anos… Dado o panorama das colocações, bolas penso que dentro da minha área não tenho assim deveras dificuldades em arranjar colocação num raio de 100km… Mas agora os professores têm que estar condenados a ficar efectivos antes de poderem comprar casa?  

Conheço casais em que são ambos professores e já têm uma casa…

Já quando outrora procurei casa com namorado, surgiram logo imbróglios pois parecia que estava a cometer a maior imprudência da minha vida…

Quero ter o meu espaço, não procuro uma casa de luxo, chega-me um T1 com espaço para um roupeiro, cama, estantes com muita arrumação e secretária… Já vi na internet bons T1 (alguns até com marquise e cozinha sem ser kitchenet) por menos de 70 mil euros… E se eu não for tão crítica com as áreas até já vi boas casas por menos de 60 mil euros… Verdade seja dita que quanto menos espaço tiver a casa, menos tenho que limpar… mas há que ter em conta que tenho que ter onde pôr toda a tralha do meu quarto.

 

A juntar aos argumentos de precisar de ter uma casa, é verdade que estou numa relação e preciso de algum espaço para estar com ele… Não estou para estar a trazê-lo consecutivamente aqui para casa, nem quero estar a chatear os pais dele, até porque nem me sinto à vontade para tal…

 

Não vou estar a pressioná-lo para um pedido de casamento forçado, com o objectivo de querer sair daqui… até porque isso nem daria certo… afinal um casamento é mais do que uma festa e a compra de uma casa.

 

A minha vontade é ir ao meu banco, conversar com um gerente para tentar saber até que valor me dão empréstimo de uma casa (sem fiadores). (Eu sei que também depende muito da avaliação da casa, mas há diferença entre pedir empréstimo de 200 mil euros e 50 mil euros - esta é a frase chave que vou usar quando o gestor começar a engonhar).

 

Eu sei que o panorama não é dos melhores com o FMI… mas vou esperar 10 anos para que Portugal estabilize? Vou deixar de viver a minha vida e construir o meu futuro porque uma cambada de políticos resolveu “gamar” o “Zé Povinho”?

 

Isto não é nenhuma birra, já não estou chateada com ninguém aqui de casa! Ás vezes as discussões abrem-nos horizontes e penso que pode ter sido isso que me levou a ter interesse em procurar uma casa… Mas os vários argumentos que usei aqui são mais do que válidos para demonstrar a minha vontade em querer comprar uma casa…

 

É certo que estou a passar por um terrível momento emocional, mas esse problema tinha que vir para o exterior e não podia continuar escondido entre o meu quotidiano atarefado em que mal tinha tempo para pensar e exteriorizar emoções.  

 

Por agora fico-me com o desafio que tenho para cumprir até daqui a uma semana… Sei que tenho uma reunião na escola, mas pelo menos depois venho cá dizer como estão as coisas… nem que seja para escrever uma só “linha”.

 

E aqui fica o meu desabado da minha revolução de ideias, 37 anos após uma revolução política que muito mudou este país…

 

 

 

 



Publicado por... anynhasblog às 18:57
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013