Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


Arquivo
Mais comentados...
10 comentários
7 comentários
5 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
Links
Choose your language
Ana Filipa

Cria o teu cartão de visita
Meteorologia
Click for Lisboa, Portugal Forecast
Contador de Visitas
hospedagem de sites
hospedagem de sites
Número de pessoas online
Visitantes do Blog
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
Protected by Copyscape Web Plagiarism Check
blogs SAPO
subscrever feeds
Sexta-feira, 3 de Setembro de 2010
Desempregada ou Empregada???

Confissões de professora:

 

Antes de renovar o blog, escrevia sem fazer menção a situações ligadas à vida profissional, uma vez que ainda não estava ligada à "vida activa".

 

Acreditem que é uma sensação estranha terminar o curso e saltar para o mundo de trabalho... Não é que sentisse diferença em relação às injustiças e outras iniquidades relacionadas com a vida profissional (infelizmente já estava habituada a isso pela minha experiência de vida). Mas foi a mudança a nível de responsabilidade...

E nem comento qual foi a sensação de receber o primeiro ordenado... ou o primeiro pagamento, ainda que fosse escasso, pois estive num Centro de Explicações um mês antes de começar a dar a aulas.

 

 

Achamos sempre que é muito dinheiro e que é estranho sermos compensados com tanto € por um "trabalho" que também tinhamos enquanto estudantes... mas um trabalho diferente e que exige maior responsabilidade...

 

Mas iniciei este post não com o intuito de descrever o que senti quando comecei a trabalhar...

 

Preciso de desabafar...

 

Estou numa pilha de nervos e possívelmente o "palavreado" bem como descrição de circunstâncias que aqui vou relatar, apenas pode ser entendido por professores... Mas vou tentar explicar!!!!

 

Bem digamos que no ano lectivo anterior 2009/2010 estive a dar aulas numa escola TEIP (Território educativo de Intervenção prioritária). Este tipo de escolas beneficiam de alguma autonomia a fim de poder combater o insucesso e abandono escolar.

Deste modo as escolas TEIP têm autonomia para escolherem os professores que querem a trabalhar consigo. Afinal convém serem professores cujo perfil se adapte ao tipo de alunos que vai encontrar.

 

 

No concurso anual de professores do ano anterior foram implementadas algumas novidades, nomeadamente a recondução de professores por um período de 4 anos. 

Assim deste modo Concurso Nacional de professores mesmo a sério só se realiza de 4 em 4 anos...

Vamos supor que o Professor "João" ´foi colocado no ano lectivo 2009/2010 na Escola "Ponte acima"(nome fictício).  O contrato do professor "João" cessou a 31 de Agosto de 2010. Antes desse prazo, a direcção da escola "Ponte acima" como gostou do trabalho do professor "João", reconduziu-o por mais um ano lectivo (renovou-lhe o contrato até 31 de Agosto de 2011). Assim o professor "João" já não precisou de concorrer ao concurso nacional de professores e a escola não apresentou no concurso a vaga do professor "João"(o que leva a um menos número de vagas a nível de concurso nacional).

 

A escola "Ponte acima" pode ir renovando desta maneira o contrato do professor "João" anualmente mas só até ao concurso de 2013/2014, ou seja quatro anos após o concurso 2009/2010. No concurso 2013/2014 o professor "João" volta a concurso nacional sem haver a possibilidade da escola "Ponte acima" escolher o professor "João". A escola "Ponta acima" tem que disponibilizar a vaga do professor "João" que pode ser preenchida por um professor que tenha maior qualificação profissional (média de fim de curso + um valor, por cada 365 dias de trabalho) que o professor "João".

 

Nas escolas TEIP não funciona nada assim... Pode haver as ditas "reconduções"... mas não directas... Lembrem-se que referi acima que o professor "João" já não foi a concurso nacional por ter sido reconduzido. Os professores das Teips vão à mesma a concurso nacional. Caso fiquem colocados e queiram concorrer para a TEIP onde têm lugar garantido (de acordo com as indicações do director), devem dirigir-se à Direcção Geral dos Recursos Humanos da Educação com um documento próprio. Caso não fiquem colocados, só têm que concorrer às posteriores "Ofertas-escola" onde as Teip comunicam as suas vagas e  onde os professores profissionalizados podem concorrer.

No ano passado concorri para a TEIP onde "estou" actualmente (e outras tantas), tive uma entrevista com o director e entreguei o meu Curriculum Vitae para uma maior apreciação do meu perfil.

 

Fui seleccionada através da aplicação da Internet à qual concorri. O meu contrato teve inicio a 8 de Setembro uma vez que de 1 a 7 de Setembro de 2009 houve o período em que concorri e o momento da entrevista bem como as de outros colegas.  

 

Ora numa escola problemática e estando nós (professores) adaptados ao tipo de alunos que temos, faz todo o sentido que queiram que nós continuemos a exercer as nossas funções de docentes. Assim também temos a possibilidade de recondução (de acordo com as indicações do director) que ocorre nestes termos:

  • A partir de 1 de Setembro, as escolas Teips abrem concurso na internet ondem revelam as vagas necessárias a cada grupo de recrutamento (Matemática, Biologia, Físico-Química, Português, etc);
  • Os professores que querem permanecer na Teip, devem, conforme no ano anterior, concorrer no prazo de 5 dias ao horário pretendido;
  • Os professores "da casa" é provável que já não sejam submetidos a uma entrevista conforme fora no ano anterior;
  • Por volta do dia 6 ou 7 de Setembro são indicados quais os professores seleccionados;
  • Na aplicação da internet onde tudo isto decorre (site da Direcção Geral dos Recursos Humanos da educação) aceitamos a escola que nos seleccionou;

 

 

E agora a minha situação:

  • O meu contrato acabou no dia 31 de Agosto de 2010;
  • Como em qualquer contrato que cessa, recebi um valor relativo a férias não gozadas e um valor relativo a retenção do Subsídio de Natal (o meu subsídio de Natal de Dezembro de 2009 foi só de 4/12 relativamente ao meu ordenado. Quem está efectivo recebe o ordenado duplicado chamando a isso subsídio de Natal... Eu além do ordenado só recebi mais um quarto do mesmo);
  • Na secretaria da escola informaram-me que o dinheiro relativo a "Férias não gozadas" e "Retenção de Subsídio de Natal" deve ser devolvido, caso o novo contrato se celebre no dia 1 de Setembro;
  • A "minha escola" apresentou a "minha" vaga no dia 1, à qual concorri...
  • Aguardo desde aí a aceitação da mesma para eu posteriormente confirmar na aplicação informática;
  • Para todos os efeitos eu estou "desempregada";
  • Tenho ido à escola quase diariamente pois tenho tido serviços que me comprometi a cumprir que estão relacionados com a minha tarefa de Julho (os professores não entram de férias aquando os meninos... eles depois têm tarefas a cumprir em Julho ou Agosto);
  • Ainda não percebi se o contrato vai ser celebrado relativamente a 1 de Setembro. Por um lado é bom porque recebo o ordenado de Setembro no final do mês e fico exactamente com 365 dias de serviço (no final do ano lectivo 2010/2011) o que leva a que a minha qualificação profissional aumente um valor (além do que já aumentou devido ao meu trabalho anterior como docente). Por outro lado  tenho que devolver o valor que já recebi, relativo a férias "não gozadas" e "retenção de subsídio de Natal".

 

Até que ponto isto faz sentido???

 

Ok, é perfeito se o contrato começar a 1 de Setembro... mas para todos os efeitos eu só sei que tenho trabalho "nesta escola" por "boca"...

 

A culpa não é desta escola, é dos conformes dirigidos pelo Ministério da Educação...

Até que ponto é justo que as TEips exerçam contratos de uma data em que ainda não estamos a trabalhar??? Aliás é a data em que o concurso "Oferta-escola" começa... Estamos a dia 3, não há nada que me garanta o emprego.... e vou ter um contrato que diz que eu neste dia já estava "empregada"???

Na minha opinião se as Teips não fazem reconduções "automáticas" como nas outras escolas, os contratos não devem iniciar-se a 1 de Setembro...

Isto está-me a fazer muita confusão... queria que o meu pai me ligasse... mandei toques e um sms. Preciso mesmo de falar com ele pois ele é "pró" nestas questões burocráticas sobre os contratos e queria que ele me esclarecesse se legitimamente a escola celebra o meu contrato a 1 ou no dia da minha aceitação na aplicação (conforme no ano anterior).

 

 

E já agora (desculpem a minha santa ignorância), porque é que nos finais de contratos se recebe as "Férias não gozadas" e a "Retenção do Subsídio de Natal"???? E tenho que devolver estes dois valores ou só o que é relativo a "Férias não gozadas"???

 

Além disso preciso de falar com o meu pai por causa da Buraca que está para alugar... Preciso de saber as áreas e dar-lhe o feedback da demonstração da casa que hoje fiz... (agora até virei agente imobiliária).

 

E por falar em pai,  já comprei a prenda que vou oferecer ao meu pai no aniversário dele... Aliás uma das prendas... Não posso ainda revelar nada, mas se o meu plano bem como o da minha mana resultar, vai ser de loucos...

Depois conto... só adianto que ele faz anos a 8 de Setembro...

 

É curioso, ele nasceu em 1958 e eu em 1985... basta só trocar o 8 com o 5...

E relativamente a datas de aniversários... porque é que sou a única da família que nasceu em ano ímpar???

Eu - 1985

Mana - 1992

Mãe - 1960

Pai - 1958

 

 

Devo ser "desterrada" desta família...

Até o meu avô maternos e os avós paternos nasceram em anos pares 1932... Ahhhhhh mas a minha querida avózinha nasceu em 1943!!!

Já não em sinto tão mal...

 

Bem eu a escrever, é tal e qual como eu a pensar e a conversar... começo em "alhos" depois passo para "bugalhos" e muitas das vezes a conversar volto aos "alhos"...

 

 

E com isto tudo desabafei sobre aquilo que sinto e que me revolta...

Sinto uma enorme instabilidade emocional e não é que tenha motivos para tanto... na escola querem reconduzir-me... Mas é aquela questão do ínicio do contrato e saber quando é que tenho que aceitar a colocação na aplicação informática da DGRHE.... é que me stressa...

 

Bem e pensar que uma colega minha foi colocada perto de casa mas a escola não tem horário para ela e não lhe garantem o ordenado... acham normal???

 

É como apresentar um emprego para um posto de trabalho, ser seleccionado para esse posto de trabalho que afinal... não existe...????

 

Desconfio que os "pategos" da dita escola em que isso sucedeu, não tenham retirado as vagas do concurso nacional dos professores que foram reconduzidos...

 

Se eu digo que estou com suposto stress... nem quero imaginar a minha colega... aliás pelo que me disseram ela estava mesmo mal... até porque a colocação ao pé de casa oferece-lhe estabilidade na relação conjugal em que vive...

Na Teip onde estou, ela tem o lugar à "espera dela" e o problema ficaria resolvido se não fosse a questão de ela ser casada...

 

Acreditem... só se consegue ter a profissão de professor se se gostar muito do exercício do cargo de docente...

Porque mesmo tirando estas burocracias, o nosso dia a dia durante o tempo lectivo está longe de ser calmo e pouco cansativo... Acreditem que para dar aulas eu acho que temos que ter um "dom"...

 

O "dom" de ensinar não nasce com todos... E não é um ordenado grande ou pequeno que nos retribui a "gratificação" da nossa profissão e trabalho...  

 

Talvez noutro dia eu possa falar melhor dessa "retribuição" que sentimos ao ser professores...  

 

 

Ps:- Parabéns ao "Sapinho" pelos seus 15 aninhos... eu pelo menos conheço-o desde 1998... :)

 


I feel: Stressada...

Publicado por... anynhasblog às 23:04
Link do post | Comments... | Adicionar aos Favoritos
 O que é? |  O que é?

Um pouco sobre mim...
Posts recentes

30 de dezembro 2013